segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

A galáxia artificial

E o céu da metrópole

O Planetário Professor Aristóteles Orsini, conhecido como Planetário do Ibirapuera, vai ficar temporariamente fechado entre hoje (14/12) e o dia 9 de janeiro de 2010 para manutenção preventiva.

Eu fui ontem assistir a uma das últimas apresentações de 2009, chamada O Lado Escuro do Universo, e deu para entender por que tanto cuidado com os equipamentos. O planetário é equipado com um projetor esférico Zeiss Starmaster, capaz de recriar no teto do lugar todas as constelações do céu noturno em qualquer época, com uma precisão e beleza de deixar qualquer um de olhos molhados.

É realmente uma experiência. As luzes se apagam, a música cresce e a Via Láctea brilha inteira, com seus milhões de astros num "céu" escuro e perfeito, em plena tarde de domingo. Como se fosse alta madrugada, e como se a pessoa estivesse muito longe de São Paulo.

Planetários são um desses sintomas engraçados da vida moderna. Nossas cidades cheias de lâmpadas e fumaça criaram uma noite parda e sem estrelas que nunca existiu antes. Aí inventamos lugares hi-tech onde entramos pagando ingresso e deitamos em poltronas de cinema sob um céu sintético, feito de luzes computadorizadas, lasers e LEDs. E saímos de lá (como aconteceu comigo) de queixo caído, abobalhados com a grandeza, a poesia, a elevação toda. Não seria ainda melhor apenas apagar a luz?

Marcadores: , ,

2 Comentários:

Blogger Ka disse...

Eu moro em São Paulo faz muito tempo e nunca fui ao Planetário. Fiquei super curiosa! Assim que abrir novamente certamente irei. Agora, concordo plenamente com você: apagar as luzes seria perfeito. Da uma saudade de olhar para o céu e ver como ele é bonito.

2:56 PM  
Blogger Roger disse...

Compra uma moto e vamos para a estrada, cão. O que não falta lá é céu. R.

3:09 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial