quarta-feira, 14 de abril de 2010

Such Tweet Sorrow

O trágico amor de Romeu e @julietcap16.

A história todo mundo conhece: duas famílias que se odeiam, um romance proibido entre um casal de adolescentes cabeça-de-vento e suas consequências mortais. A tragédia Romeu e Julieta, escrita por William Shakespeare por volta de 1595, é um dos textos mais lembrados da literatura, e por um bom motivo: sua história foi contada e recontada durante séculos em milhares de releituras e adaptações.

A mais recente delas começou na última segunda-feira e vai durar cinco semanas. Chama-se Such Tweet Sorrow, e é uma curiosa ação de narrativa transmídia e RP digital da Royal Shakespeare Company. Desenvolvida em parceria com a produtora multiplataforma Mudlark, a ação consiste de uma adaptação da famosa história para um mundo e um meio onde ela nunca foi contada antes: as mídias sociais.

Cada um dos atores principais foi encarregado de cuidar do perfil de seu personagem no Twitter. É pela interação entre os perfis e pelos conteúdos que eles postam que a trama se desenrola, e seguindo os personagens e os links que eles publicam vemos a coisa acontecer em tempo real.

Such Tweet Sorrow se passa na Inglaterra, e não na Itália. Além disso, várias licenças poéticas foram tomadas. No original, além de ser de uma família inimiga, Romeu está ferrado porque o pai de Julieta quer mesmo é casá-la com um jovem rico chamado Páris. Isso não convenceria ninguém em 2010, e na adaptação Romeu vai conhecer Julieta quando ela e a família estão de mudança marcada para a Austrália. Personagens coadjuvantes também passaram por ajustes para ficarem mais plausíveis para o público atual: o primo Tebaldo e a ama de Julieta viraram irmãos dela.

O Romeu e Julieta tuiteiro não tem falas rebuscadas. Quase tudo é improvisado. Cada ator recebeu um roteiro aberto dizendo o que seu personagem precisa fazer, quando e com quem, a cada hora de cada dia - e o elenco segue esse mapa tuitando e postando o que der na telha. A encenação também não é fechada: os personagens interagem com os seguidores. Eu recebi um reply malcriado do Benvólio e estou sendo seguido por ele.

Eu não sou fã de adaptações que atualizam clássicos. Para mim, elas nunca são muito bem-sucedidas, nem criativa nem esteticamente. A versão para o cinema Romeo + Juliet, dirigida por Baz Luhrmann e estrelando Leonardo DiCaprio, por exemplo, me dói os rins só de pensar. Mas a encenação da RSC é tão experimental que acaba se candidatando a ser uma nova obra, paralela ao original e reverente a ele. Isso conta pontos. Ela não quer ser a versão definitiva de uma época. Ainda bem. Ela quer apenas ser uma brincadeira interessante e arejada - e consegue.

Bom para a RSC, que com isso encontra um novo modo de cumprir aquilo a que se propõe desde 1870 e poucos: manter o público contemporâneo conectado aos textos do Velho Bill.

Marcadores: , ,

4 Comentários:

Anonymous Luciano Schüler disse...

Muito bom!
Quem sabe sabe e faz ao vivo. Quem não sabe, bem, quem não sabe apenas aplaude, tal qual plateia de palanque político.

6:36 PM  
Blogger Giselle disse...

Eu também achei que a grande sacada é o fato da ação ser completamente despretensiosa.
Não me parece coisa de um gênio wannabe q cismou ter encarnado Shakespeare, e sim de alguém q gosta da história e resolveu fazer o exercício de imaginar como ela aconteceria hj.
Sigo todas as personagens no twitter e estou achando uma delícia.
Delícia tb voltar a te ler.

9:09 PM  
Blogger Guilherme Jotapê Rodrigues disse...

Dizem que tentaram fazer Sonhos de uma Noite de verão, mas os avatares de fadas peladas eram muito pequenos e não somaram audiência.

2:16 PM  
Blogger Marla Gass disse...

Muito bacana o exercício que eles fizeram!


PS: Coloca botão de twitar os teus posts, facilita um monte pra quem gostou e quer repercutir!

6:07 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial